Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.ufgd.edu.br/jspui/handle/prefix/1488
metadata.dc.type: Tese
Title: Caracterização dos custos diretos e indiretos de dengue em Mato Grosso do Sul
metadata.dc.creator: Machado, Alessandra Aparecida Vieira
metadata.dc.contributor.advisor1: Negrão, Fábio Juliano
metadata.dc.contributor.referee1: Simionatto, Simone
metadata.dc.contributor.referee2: Medeiros, Elias Silva de
metadata.dc.description.resumo: Introdução: Os registros de epidemias de Dengue no Brasil são frequentes, a gravidade dos casos e o número de hospitalizações têm aumentado, impactando negativamente a economia. No período de 2016 e 2017, 68,9% e 43,4% de todos os casos registrados na América Latina ocorreram no Brasil. Estudos demonstram que os gastos públicos e privado somente com internações podem consumir até 2,5% do Produto Interno Bruto do município durante uma epidemia. Mato Grosso do Sul tem apresentado altas incidências da doença nos últimos anos, contudo até o presente momento, não existem estudos sob o impacto econômico da dengue sob a perspectiva da sociedade que incluam o Estado. Objetivos: Estimar o impacto econômico da dengue sob a perspectiva da sociedade, por meio da análise dos custos diretos e indiretos gerados em decorrência da doença; realizar levantamento dos custos médicos diretos e indiretos, no atendimento aos pacientes com diagnóstico de dengue hospitalizados ou acompanhados ambulatorialmente no setor público e privado, estratificando os custos por faixa etária. Material e Métodos: realizamos uma coorte prospectiva, utilizando a perspectiva da sociedade com abordagem do tipo bottom-up durante o período não epidêmico de março de 2016 a dezembro de 2017 no município de Dourados - MS. A amostra foi do tipo não probabilística e o local de triagem dos pacientes ocorreu em 05 instituições: 03 hospitais, 01 Unidade de Pronto Atendimento (UPA) e 01 Posto de saúde. Durante a coorte, foram coletadas informações sócio-econômicas e epidemiológicas, e também relacionadas aos custos diretos (médicos e não médicos) e custos indiretos. Resultados: Com base nos resultados obtidos, foram escritos 02 artigos: no primeiro, abordamos os casos de pacientes hospitalizados e que usaram hemoderivados. Dentre os 323 pacientes acompanhados, 52 foram transfundidos, dos quais 52% fora dos critérios recomendados pela OMS (n = 27) e 271 não foram transfundidos, sendo que 4,4% (n = 12) apresentavam critérios para transfusão. Os custos de hospitalização foram 41% maiores no grupo transfundido sem critério do que naqueles com critérios (mediana de US$ 674,3 vs US $ 478 p = 0,293). A análise multivariada utilizando tempo de internação hospitalar e os custos como variável dependente demonstraram que receber transfusão aumentou o tempo de internação em 1,29 dias (p = 0,0007; IRR = 1,29), e os custos foram 5,1 vezes maiores do que entre àqueles que não foram transfundidos (IRR = 5,1; p <0,001; mediana US $ 504,4 vs US $ 170,7). O segundo artigo, descreve os custos diretos e indiretos dos casos ambulatoriais e hospitalizados estratificados por faixa etária e por sistema de saúde (público ou privado). Os custos dos casos hospitalizados e ambulatoriais corresponderam respectivamente a 84,3% e 29,7% da renda familiar mensal. O custo médio dos casos ambulatoriais e hospitalizados no setor público foi US$ 109 (DP 117) e US$ 322 (DP 361,4), respectivamente. No setor público os custos foram US$ 170,6 (DP 199,7) nos casos ambulatoriais e US$ 444 (DP422,1) nos hospitalizados, diferença estatisticamente significante (p<0,05). A maioria dos casos ocorreu entre adultos (76%). Conclusão: A dengue gera uma grande perda na renda familiar e a não utilização dos critérios de transfusão recomendados pela OMS pioram esse cenário. Os resultados obtidos poderão contribuir com estudos de custo-efetividade pois disponibiliza informações valiosas para a sociedade e gestores que os auxiliarão na tomada de decisões no gerenciamento de recursos para a utilização de novas tecnologias no combate contra a dengue e seu vetor.
Abstract: Background: Records of Dengue epidemics in Brazil are frequent, the severity of the cases and the number of hospitalizations has increased, affecting the economy negatively. In the period 2016 and 2017, 68.9% and 43.4% of all registered cases in Latin America occurred in Brazil. Some studies have shown that public and private expenditures with hospitalizations can consume around 2.5% of the Domestic Product Gross of the municipality during an epidemic. Mato Grosso do Sul, has reported high incidence of the disease in recent years, however, there are no studies about the economic impact of dengue from a society perspective in this State. Objectives: To estimate the economic impact of dengue from a societal perspective, by analyzing the direct and indirect costs generated as a result of the disease; carry out a survey ofdirect and indirect medical costs, in the care of patients diagnosed with hospitalized dengue or accompanied outpatient in the public and private sector, stratifying costs by age group.Material and Methods: We carried out a prospective cohort, using the perspective of the society with a bottom-up approach during the non-epidemic period from March 2016 to December 2017 in Dourados city - MS. The sample was of non-probabilistic type and the place of triage of the patients occurred in 05 institutions: 03 hospitals, being 01 public, 01 first-aid center and 01 health primary care. During the cohort, socioeconomic and epidemiological information was collected, as well as direct medical and non-medical costs and indirect costs. Results: Based on the results, 02 articles were written: in the first, we analyzed the cases of hospitalized patients who used blood products. Of the 323 patients followed up, 52 were transfused, of which 52% were without WHO criteria recommendations (n = 27) and 271 were not transfused, of which 4.4% (n = 12) with transfusion criteria. The hospitalization costs were 41% higher in the transfused group without criteria than in those with criteria (median of US $ 674.3 vs US $ 478 p = 0.293). The multivariate analysis using time of hospital stay and costs as a dependent variable showed that receiving transfusion increased hospitalization time by 1.29 days (p = 0.0007; IRR = 1.29), and costs were 5.1 times higher than among those who were not transfused (IRR = 5.1, p <0.001, median US $ 504.4 vs US $ 170.7). The second article describes the direct and indirect costs of ambulatory and hospitalized cases stratified by age group and by health system (public or private). The costs of hospitalized and ambulatorycases corresponded to 84.3% and 29.7% of monthly family income, respectively. The average cost of ambulatory and hospitalized cases in the public sector was US $ 109 (DP 117) and US $ 322 (DP 361.4), respectively. In the public sector, costs were US $ 170.6 (SD 199.7) in ambulatory cases and U $$ 444 (DP422.1) in hospitalized patients, a statistically significant difference (p <0.05). The majority of cases occurred among adults (76%). Conclusion: Dengue causes a large loss in family income and not to use WHO recommendation for transfusion worsens this scenario. Our results could be contributed to cost-effectiveness studies as it provides valuable information to society and publics managers that will assist them in making decisions in the management of resources for the use of new technologies in the fight against dengue and his vector.
Keywords: Dengue
Hospitalização
Hospitalization
Análise de custo
Cost analysis
metadata.dc.subject.cnpq: CNPQ::CIENCIAS DA SAUDE::MEDICINA::CLINICA MEDICA::DOENCAS INFECCIOSAS E PARASITARIAS
metadata.dc.language: por
metadata.dc.publisher.country: Brasil
Publisher: Universidade Federal da Grande Dourados
metadata.dc.publisher.initials: UFGD
metadata.dc.publisher.department: Faculdade de Ciências da Saúde
metadata.dc.publisher.program: Programa de pós-graduação em Ciências da Saúde
Citation: MACHADO, Alessandra Aparecida Vieira. Caracterização dos custos diretos e indiretos de dengue em Mato Grosso do Sul. 2019. 155 f. Tese (Doutorado em Ciências da Saúde) – Faculdade de Ciências da Saúde, Universidade Federal da Grande Dourados, Dourados, MS, 2019.
metadata.dc.rights: Acesso Aberto
URI: http://repositorio.ufgd.edu.br/jspui/handle/prefix/1488
Issue Date: 19-Jul-2019
Appears in Collections:Doutorado em Ciências da Saúde

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
AlessandraAparecidaVieiraMachado.pdf5,02 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.