Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.ufgd.edu.br/jspui/handle/prefix/4933
metadata.dc.type: Dissertação
Title: As Cicatrizes da acumulação capitalista no Brasil: dilemas do “neodesenvolvimentismo” e os megaprojetos de infraestrutura na crise estrutural do capital
Other Titles: The scars of the capitalist accumulation in Brazil: “neodesenvolvimento” dilemmas and the great infraestructural projects at the structural crise of capital
Las cicatrizes de la acumulación de capital en Brazil: dilemas del “neodesenvolvimentismo” y los megaproyectos de infraestructura en la crísis estructural del capital
metadata.dc.creator: Ersina, Mariana Collette Piai
metadata.dc.contributor.advisor1: Guillén Carías, Maria Gabriela
metadata.dc.contributor.referee1: Lucas, Marcilio Rodrigues
metadata.dc.contributor.referee2: Mizusaki, Márcia Yukari
metadata.dc.description.resumo: A América do Sul entrou para os circuitos de acumulação global do capital a mais ou menos cinco séculos. Daqui nos foi drenado qualquer recurso que atiçasse as ganas das monarquias ibéricas. 500 anos mais tarde, nossas riquezas naturais seguem sendo drenadas em direção aos centros de acumulação do capital. As coroas ibéricas já não mais comandam o processo, mas a vocação para o exterior continua agora controlada pelas grandes transnacionais que, com ajuda dos Estados, mantém de pé e, desde a década de 1970, elevam até às últimas consequências a sua tendência espoliadora. A década de 1970 marca um momento de inflexão na lógica de acumulação capitalista, na reprodução do capital e nas formas de domínio com a queda tendencial da taxa média de lucros prevista por Marx em O Capital. A constante elevação da produtividade e o acirramento das contradições mais íntimas e inerentes do capital nos conduziu a um momento que se traduziu para o Brasil, bem como para a América Latina, no esgotamento do paradigma industrialista como forma predominante de acumulação de capital, e nos conduziu para a dinâmica da reprimarização econômica e do avanço da fronteira neoextrativista pelos territórios. A recriação de um padrão de acumulação, arquitetada para atender as demandas externas, tem como precondição essencial a construção de uma rede de infraestrutura para garantir a inserção de novos territórios na dinâmica capitalista e a reprodução ampliada dos grandes conglomerados monopólicos imperialistas. Buscando avaliar criticamente e de maneira radical, esse processo, é objetivo desta investigação examinar o papel protagonista do Estado na promoção da acumulação capitalista em que a infraestrutura se torna um vetor importante, bem como o caráter dos megaprojetos e suas consequências para o subcontinente, em especial para as populações originárias, comunidades camponesas, quilombolas, ribeirinhas e para a classe trabalhadora sul americana. Nesse sentido, temos como objetivo analisar de maneira intensiva a Iniciativa de Integração Regional Sul Americana (IIRSA) e os Programas de aceleração ao crescimento (PAC I e II) articulando-os com as dinâmicas locais, internacionais e o sistema sociometabólico do capital que a partir de 1970 entra num estágio de crise estrutural profunda.
Abstract: South America entered the circuits of global capital accumulation about five centuries ago. From these lands we were drained of any resource that would fuel the gains of Iberian monarchies. 500 years later, our natural resources continue to be drained towards the centers of capital accumulation. The Iberian crowns are no longer in charge of the process, but the external vocation continues now controlled by the big transnational corporation, that, with the help of the States, successfully maintains, and since the 1970s, have elevated the despoiling tendency to the last consequences. The 1970s marked a turning point in the logic of capitalist accumulation, in the reproduction of capital and in the forms of domination with the trend drop in the average rate of profit predicted by Marx in The Capital. The constant increase in productivity and the intensification of capital's most intimate and inherent contradictions led us to a moment that turned into in Brazil, as well as in Latin America, the exhaustion of the industrialist paradigm as a predominant form of capital accumulation, and led us to the dynamics of economic reprimarization and the advance of the neo-extractive frontier across territories. This recreation of an accumulation pattern, designed to serve external demands, has as its essential precondition the construction of an infrastructure network to guarantee the insertion of new territories in the capitalist dynamics and the expanded reproduction of the large imperialist monopoly conglomerates. Seeking to critically evaluate this process in a radical way, the objective of this investigation is to examine the protagonist role of the State in promoting capitalist accumulation in which infrastructure becomes an important vector, as well as the character of megaprojects and their consequences for the subcontinent, especially for native populations, peasants, quilombolas, riverside communities and the South American working class. To this end, we aim to intensively analyze the South American Regional Integration Initiative (Portuguese acronym IIRSA) and the Growth Acceleration Programs (Portuguese acronym PAC I and II), articulating them with the local, international dynamics and the sociometabolic system of capital that since 1970 enters a stage of deep structural crisis.
Keywords: Crises
Capitalismo
Capitalism
Capital social (Economia)
Capital social (Economics)
Estado
State
metadata.dc.subject.cnpq: CNPQ::CIENCIAS HUMANAS::SOCIOLOGIA
metadata.dc.language: por
metadata.dc.publisher.country: Brasil
Publisher: Universidade Federal da Grande Dourados
metadata.dc.publisher.initials: UFGD
metadata.dc.publisher.department: Faculdade de Ciências Humanas
metadata.dc.publisher.program: Programa de pós-graduação em Sociologia
Citation: ERSINA, Mariana Collette Piai. As Cicatrizes da acumulação capitalista no Brasil: dilemas do “neodesenvolvimentismo” e os megaprojetos de infraestrutura na crise estrutural do capital. 2021. 176 f. Dissertação (Mestrado em Sociologia) – Universidade Federal da Grande Dourados, Dourados, MS, 2021.
metadata.dc.rights: Acesso Aberto
URI: http://repositorio.ufgd.edu.br/jspui/handle/prefix/4933
Issue Date: 9-Sep-2021
Appears in Collections:Mestrado em Sociologia

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
MarianaCollettePiaiErsina.pdf1,46 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.