Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.ufgd.edu.br/jspui/handle/prefix/4398
metadata.dc.type: Trabalho de Conclusão de Curso
Title: Ação antidepressiva e antinociceptiva do extrato e da fruticulina a obtido de folhas de Salvia lachnostachys Benth em roedores
metadata.dc.creator: Formagio, Maíra Dante
metadata.dc.contributor.advisor1: Kassuya, Cândida Aparecida Leite
metadata.dc.description.resumo: Objetivos: O presente trabalho investigou a atividade anti-hiperalgésica, antidepressiva, e antinociceptiva do extrato etanólico (SLEE) e da Fruticulina A obtidos a partir das folhas de Salvia lacnostachys em roedores. Métodos: Foi avaliada atividade farmacológica de SLEE (100 mg/kg, administrada por via oral (v.o.)) em modelo de lesão do nervo ciático (SNI) em ratos. Os animais foram submetidos ao teste de sensibilidade mecânica, nado forçado e sensibilidade ao frio 10 e 15 dias após a cirurgia. A SLEE (100 mg/kg, v.o.) e Fruticulina A (3 mg/kg, v.o.) também foram avaliados em relação ao comportamento nociceptivo induzido por formalina. Além disso, o comportamento depressivo induzido por clonidina também foi analisado. Resultados: A administração oral de SLEE por 15 dias inibiu significativamente a hiperalgesia mecânica induzida pelo SNI e diminuiu a imobilidade no teste de nado forçado, assim como, o grupo controle positivo (cetamina, 10 mg/kg). No 15o dia de tratamento oral, SLEE impediu o aumento na sensibilidade ao estímulo frio induzido pelo SNI. No teste de formalina, SLEE e Fruticulina A reduziram significativamente a frequência de lamber/morder a pata e, diminuiu a formação de edema na pata. SLEE e Fruticulina A atenuaram significativamente os efeitos supressores em atividade locomotora espontânea (quadrados invadidos e o levantar) e emocionalidade (limpeza e congelamento) induzidos pela clonidina, em comparação com os controles, com resultados semelhantes ao grupo selvagem (naive). Conclusão: Em conjunto, os resultados demonstram que SLEE possui efeito antihiperalgésico, antidepressivo, e a atividade antinociceptiva e a Fruticulina A parece ser o composto responsável pelos efeitos do SLEE. Juntos, esses resultados reforçam as ações antidepressivas convincentes de SLEE e Fruticulina A e enfatiza que ambos os produtos de S. lachnostachys tem potencial terapêutico contra dor espontânea e neuropática.
Keywords: Hiperalgesia
Hyperalgesia
Depressão
Depression
Nociceptividade
Nociception
Salvia lachnostachys
metadata.dc.subject.cnpq: CNPQ::CIENCIAS DA SAUDE::NUTRICAO
metadata.dc.language: por
metadata.dc.publisher.country: Brasil
Publisher: Universidade Federal da Grande Dourados
metadata.dc.publisher.initials: UFGD
metadata.dc.publisher.department: Faculdade de Ciências da Saúde
Citation: FORMAGIO, Maíra Dante. Ação antidepressiva e antinociceptiva do extrato e da fruticulina a obtido de folhas de Salvia lachnostachys Benth em roedores. 2015. Trabalho de Conclusão de Curso (Bacharelado em Nutrição) – Faculdade de Ciências da Saúde, Universidade Federal da Grande Dourados, Dourados, MS, 2015.
metadata.dc.rights: Acesso Restrito
URI: http://repositorio.ufgd.edu.br/jspui/handle/prefix/4398
Issue Date: 10-Nov-2015
Appears in Collections:Nutrição

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
MairaDanteFormagio - restrito.pdf835,94 kBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.